Preâmbulo

Tempo é um recurso valioso. Por isso princípios como KISS e DRY são importantes e aplicáveis aqui.

Desculpo-me previamente pelas simplificações extremas e utilização excessiva de hyperlinks. Sintam-se à vontade para discutirem o que julgarem relevante, usando os meios adequados.

Por que Groovy e Grails?

Groovy = Java++

Grails = (Spring Framework + Hibernate)++

Com o tempo e o amadurecimento do desenvolvedor e da própria tecnologia:

Groovy = Java**

Grails = (Spring Framework + Hibernate)**

Escreve-se o mesmo tipo de aplicação, em um tempo significativamente menor.

E se eu descobrir que parte do código em Groovy está afetando o desempenho da minha aplicação?

Se Groovy for a real causa do problema, use Groovy++ nessa parte do código;

Se o resultado não for satisfatório, reescreva essa parte em Java;

Se o resultado não for satisfatório, reescreva-a em C (e use JNI ou JNA);

Se o resultado não for satisfatório, reescreva-a em C e inline-Assembly (e use JNI ou JNA);

Se o resultado não for satisfatório, construa seu próprio hardware ou desista de programar.

Ainda não me convenci, preciso de mais informações

Respire fundo, leia atentamente e decida por si só:

E o Google é seu amigo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


− seis = 3

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>